FALSO

"Neste debate, o que está em causa são as diferentes concepções sobre o valor da vida e a sua sacralidade enquanto base do pensamento católico tradicional." É possível pôr o valor da vida em primeiro lugar sem se ser católico, quanto mais católico tradicional.

Comentários:
Não deixa de ser curioso que a invocação da religião esteja a ser efectuada fundamentalmente pelos defensores do "sim".
 
Exactamente. A técnica é muito usada, embora eu tenha para mim que em 98 foi uma das razões que terão levado à "reviravolta". Diga-se que, apesar de ser Católico - e propenso ao Catolicismo Tradicional - não creio, de modo algum, que o aborto seja uma questão religiosa. Muito longe disso, até...!
 
Se o Jorge me permite: não acha que fazem falta os links para os "blogues desalinhados"? Não querer ouvir a outra parte é mau princípio.

PS: "Portugueses livres"?! E os do SIM, serão o quê?
 
Afinal o que é que está verdadeiramente em causa, para além do óbvio, ou seja, a defesa da vida, que para mim acontece a partir da concepção, independentemente de todos os argumentos que me queiram dar.
Mas o que me parece, é que ao votar sim, (vou votar não), estaremos a abrir uma caixa que nunca mais se fechará.
No Brasil e segundo as últimas noticias, já se fala seriamente em aborto? até aos 9 meses. Terão já existido até propostas nesse sentido.
Se as razões económicas e tantas outras passam a ser aceitáveis, então quem nos diz que essas mesmas razões não poderam vir a ser aplicadas aos já nascidos daqui a alguns anos.
Com certeza que não queremos mulheres na cadeia, mas esse é um assunto que o Estado pode resolver pelos seus meios próprios, legislando nesse sentido.
O que está aqui em causa é a liberalização total do aborto, por enquanto até às 10 semanas, digam lá o que disserem.
Até a pergunta ao falar em Interrupção Voluntária da Gravidez, é capsiosa, porque não usa claramente o termo aborto.
Nunca ouvi nenhuma mulher dizer: eu já "interrompi voluntáriamente a gravidez".
Este é um assunto da humanidade, e se a humanidade mata os filhos que gera, então algo está muito mal.
Aliás percebe-se bem como o assunto é sobre a vida pelo modo como tentam demonstrar que o feto não é vida, nem ser.
Claro que tudo isto já foi dito, mas é sempre bom recoradr.
 
Concordo que o Aborto não é uma questão religiosa.
Até porque se for considerado pecado, com a confissão, com o arrependimento, com a penitencia se obtem a respectiva absolvição, o pecado, deixa, de o ser. ( é discutivel que assim seja mas é assim que é).
O Aborto pode até ser uma questão moral e ética.

Mas é mais do que tudo isso que se possa incutir. No meu ponto de vista. é uma questão de desresponsabilização: dos cidadaos e do estado. É a mais vil das desresponsabilizações sociais e civicas.
Do cidadao porque é mais fácil o não assumir um acto praticado e as suas consequencias.
Do Estado porque assim se descarta do seu maior Dever: Educação promovendo a prevenção.
Eu não pactuo com a capitulação ao facilitismo.
 
A Vida é algo maior que nós! Superior! que nos impulsiona!
Dar Vida é Dar Esperança ao Futuro! nada que ver com questões religiosas nem culturais. São Sociais e Humanas!
Porquê defender os ninhos das cegonhas,as focas, as baleias, as tartarugas, e não o HOMEM?

Teremos chegado ao ponto de precisarmos de um movimento activista de "Ecologia Humana" que defenda a Espécie Humana? Felizmente há muitos que o fazem...! Pela Vida, a sua e das que ainda não nasceram!
 
Não deixa de ser curioso o BE ter feito um "apelo aos cristãos" em plena Assembeleia Rebublica, no dia 19 de Outubro...!
 





blogue do não