OUTRA DO MÉDICO DO SIM

Após Alexandra Tété ter respondido à pergunta que o médico do sim lhe fez, concluiu que a mesma não lhe tinha respondido...

Comentários:
nao respondeu.
ele perguntou-lhe se condenava os médicos e por quanto tempo.
 
REFERENDO SOBRE O ABORTO
Assinale com um X a resposta que corresponde à sua opinião:

___ Tem sido um bom primeiro-ministro

___ Tem sido um mau primeiro-ministro

___ Nem sequer tem sido primeiro-ministro
 
...não, não respondeu
 
Respondeu sim, que era co-autora do artigo que aquele "médico" agitava, cambada de idiotas...
 
Estiveram desatentos, caros amigos.

O debate vai repetir na rtpN, vejam-no.

O médico perguntou-lhe "se quer ver os médicos, que façam o aborto, presos e por quanto tempo".

Assim que a senhora abriu a boca disse: "Sim, quero, mas...". Depois dispersou-se e acabou por não concluir a resposta nesse sentido, ou seja, não disse que pena propõe.

Mas não é preciso ser-se muito inteligente para compreender a resposta da senhora. Ela defende que as mulheres não sejam presas, mas que aqueles que executam o aborto o sejam (ela disse-o). Quanto à pena, é mais que óbvio, que contemplando a actual Lei uma determinada pena de prisão para as mulheres e para o médico, retirando a pena à mulher, apenas o médico a cumpre, ou seja, essa pena corresponderá aquela que já está prevista na actual Lei.

Seja como for, esta miudeza apenas serve para desviar o debate central, ou seja, se e quando é que o livre critério da mulher se deve submeter à protecção jurídica do feto, e qual é o critério médico-científico para estabelecer essa data limite. Apenas isto, e não compreendo como é que não se pôs sistematicamente isto em discussão, pelo lado do NÃO.

O NÃO, neste debate, sucumbiu à estratégia do SIM.
 
essa teté faz lembrar o cunhal... só não tem é tanta inteligência...
 





blogue do não