Desenvolvimento do bebé no ventre materno

Dia 1 - O espermatozóide fecundou o óvulo: surgiu uma nova vida humana. Os quarenta e seis cromossomas do zigoto conferem-lhe uma identidade genética única e irrepetível. Nesta célula única, o zigoto, estão já determinadas características como o sexo, a cor dos olhos e do cabelo, a estatura, até o potencial de inteligência e em certa medida a base da personalidade...

Semana 3 – O coração começou a bater. O embrião tem 3mm. O seu sistema nervoso e os seus órgãos principais começam a tomar forma. O coração já bate e nos seus vasos circula sangue diferente do da mãe.

4ª semana- Já é 10 mil vezes maior do que no seu início...
Formam-se os brotos dos membros superiores e inferiores; surge a abertura da boca; começam a formar-se o olho e o ouvido interno, os aparelhos digestivo e respiratório e os nervos motores.

Semana 5– O bebé já se movimenta.
São visíveis traços faciais, incluindo a boca e a língua. Os olhos têm já retina e cristalino. O principal sistema muscular desenvolve-se. Mãos e pés tornam-se aparentes.

Semana 6– Podem detectar-se ondas cerebrais num EEG
Tem 12 a 15 mm. Aparecem as pálpebras, distinguem-se as saliências auriculares, o lábio superior, a ponta do nariz...O esqueleto de cartilagens está totalmente formado. A criança nada e move-se graciosamente. Os braços e as pernas aumentaram de comprimento e começam a desenhar-se os dedos.

7ª semana- Tem receptores da dor. Mexe-se e reage quando lhe tocam na boca. Tem cerca de 1,8 cm e pesa menos de 1 g. Tem tiróide, glândulas salivares, brônquios, pâncreas, canais biliares, ânus. Começam a formar-se os dentes de "leite", os testículos e ovários. O esqueleto começa a calcificar-se. A parte do cérebro que controla as funções vitais desenvolve-se.

Semana 8- Os primórdios dos principais órgãos estão já formados. Acabou o período embrionário. Tem músculos nos membros, no tronco e na face, tem orelhas, dedos nas mãos e nos pés. Responde a estímulos: abre a boca; se lhe puserem uma coisa na mão já a agarra (possui o reflexo da preensão); flecte os dedos dos pés; tem movimentos espontâneos. As principais estruturas do sistema nervoso central estão formadas e os neurónios começam a migrar para o córtex cerebral.

9ª semana - Já consegue chuchar no dedo... Tem 5 cm e pesa menos de 8 g. Engole, mexe a língua, chucha no dedo.

10ª semana- Já tem as mesmas impressões digitais que terá durante toda a sua vida. Tem 6 cm e pesa cerca de 14 g. Começam a formar-se as unhas das mãos e os dentes definitivos.Produz insulina e bílis. O bebé tem pestanas, abre e fecha os olhos, as cordas vocais formam-se na laringe e o bebé pode fazer sons. Os ossos crescem mas a coluna e as costelas são ainda moles. O registo da actividade cerebral (EEG) torna-se mais consistente.

Consultores:
Drª Henriqueta Coimbra da Silva, Dr. João Paulo Malta e Dr. Vitor Neto

Comentários:
Contra factos não há argumentos. O problema é que uma grande parte do eleitorado anda demasiado ocupado com a bola e a novela e não quer informar-se. Mas quando estas informações chegarem ao chamado grande público, só defenderá o sim quem estiver de facto de má fé... Obrigado, Sara. É este o caminho que temos de trilhar.
 
Meus caros,
Aguardem os comentários que serão esclarecedores quanto à má fé de alguns.
Bom post Sara.
 
Ó Dona Marta Rebelo e Dona Sara... Vejam lá se deixam de pensar com a medula sobre este caso e começam a dar uso ao cérebro e, digo isto, porque acredito haver entre os anti-abortistas pessoas com respeito de facto pela vida humana.

Saibam que, nem toda a gente tem dinheiro para ir a Madrid e, também, que o aborto a não ser legalizado, continuará a ceifar vidas por ser inevitavelmente feito em vãos de escada com recurso a muita aguinha quente. Ou pensam as senhoras que este deixará de se fazer? Que a mãe que tomou essa difícil decisão, só porque não é legal, deixará de recorrer ao vão de escada?
Desculpem que lhes diga, mas devem viver num mundo, muito, muito pequenino e entendam de uma vez, que a única mudança, mas significativa, se o SIM ganhar, será que, este passa a ser feito com condições mínimas de risco para a vida da Mãe, logo, falamos na tentativa de minorar um problema e falamos portanto de saúde pública, o que é substancialmente diferente.

Não discuto o estatuto de equivalência, mas entre escolher um embrião com 10 semanas e um ser humano de pleno direito, não tenho qualquer resíduo de dúvida em ser pró-vida e portanto defensor que a intervenção aconteça num hospital

Deviam os tão activos anti-abortistas, pensar em soluções para que o número de abortos diminua e, nesse caso, estariam então e muito bem, a prestar um valiosíssimo serviço a toda a sociedade. Infelizmente, só os ouvimos nestas alturas. Erradamente, claro.
 
Ó PiresF,
Engraçado que clamem todos contra as poucas mulheres que por aqui andam mas depois tenham pena leve para as atacar a despropósito.
Para já, a hipocrisia grassa dos 2 lados da barricada, mas não tenha dúvidas de que do seu lado é desmesuradamente maior. Desde logo, porque sem saber em que condições é que o aborto clandestino é hoje feito, nomeadamente com que número de semanas do feto, é abusivo da sua parte argumentar a favor da lei como se esta acabasse com esse mesmo aborto. Para sua informação os recentes casos de julgamento levados a julgamento respeitam todos a abortos de fetos com mais de 10 semanas, caso em que continuará, independentemente do resultado do referendo, a ser crime.
Depois, V. Exa., certamente sem querer, não leu (ou não percebeu) o que aqui foi dito. O que, por exemplo, a Marta disse, foi que de um lado tem a certeza da morte de um ser humano - o feto, ao passo que do outro tem a mera possibilidade de risco para a saúde da mulher, o que, não sendo dispiciendo, não é exactamente a mesma coisa.
Quanto às soluções para os abortos diminuirem, não esteja de má fé, pois 90% das associações que trabalham no terreno em apoio às mulheres grávidas são constituídas por defensores do NÃO. Mais curioso é o facto dos abortistas se acharem no direito de nada fazerem para combaterem esse flagelo apesar de em campanha terem o descaramento de se afirmarem contra o aborto.
Por fim, uma referência à forma ordinária como se dirigiu a pessoas aqui do blogue. Normalmente, quem cai na tentação de recorrer ao insulto não costuma ter grandes argumentos para defender as suas opiniões, o que parece ser o seu caso. Por esse motivo, se a sua ideia de aqui vir passa pela ofensa gratuita de quem aqui escreve mais vale não aparecer.
 
Então e o dia zero ?
Esse é que tem piada, ponham fotos desse dia tb por favor, obrigado.
 
Um esclarecimento por favor:
"formam-se os dentes definitivos"

????
 
Meu caro Rui Castro,

Parece que afinal V.Exa é que não me leu bem, porque não pretendi atacar as poucas mulheres que por aí ”andam” como diz e sim, “atacar” quem escreveu os dois últimos posts.

Sobre hipocrisia, deixe que lhe diga que me conseguiu arrancar um sorriso. Diga-me, onde digo eu, que a lei vai acabar com o aborto clandestino? O que digo, é que, as mães que tomaram essa decisão, vão ser assistidas convenientemente e com todos os cuidados de saúde e aí, é que está o busílis da questão e percebi muito bem o que disse a Dona Marta, por isso disse que não discutia equivalências.

Sobre a má fé:

Pensa V.Exa. meu caro Rui Castro, que alguma associação, seja adepta do não ou do sim, tem conhecimento da esmagadora maioria de casos de aborto? Hummm... não me parece. Estes são mesmo clandestinos, os que são conhecidos são outros e são uma pequena franja de todo este problema, depois, quanto à sua questão sobre o que fazem os defensores do sim, devo dizer-lhe que lutam pelo sim evidentemente e eu nunca disse que era contra o aborto, o que disse, foi, que deviam os anti-abortistas pensar em soluções para diminuir o número de abortos, e nesse caso prestariam um valiosíssimo serviço a toda a sociedade, o que não quer dizer, que seja contra o aborto, essa é uma ilação que V.Exa decidiu retirar das minhas palavras.

Sobre o ordinário:

Se dizer às pessoas em causa, para não pensarem com a medula e sim com o cérebro e repare que, disse “neste caso”, é ordinário, é porque V.Exas. estão muito seguros da omnipotência dos vossos julgamentos e da vossa palavra, só que, eu não estou e, penso que V.Exas, pensam muito mal e por isso o convite a melhores raciocínios.
 
"Diga-me, onde digo eu, que a lei vai acabar com o aborto clandestino?"
Que tal aqui (a contrario)?:
"e, também, que o aborto a não ser legalizado, continuará a ceifar vidas por ser inevitavelmente feito em vãos de escada com recurso a muita aguinha quente. Ou pensam as senhoras que este deixará de se fazer? Que a mãe que tomou essa difícil decisão, só porque não é legal, deixará de recorrer ao vão de escada?
Desculpem que lhes diga, mas devem viver num mundo, muito, muito pequenino e entendam de uma vez, que a única mudança, mas significativa, se o SIM ganhar, será que, este passa a ser feito com condições mínimas de risco para a vida da Mãe, logo, falamos na tentativa de minorar um problema e falamos portanto de saúde pública, o que é substancialmente diferente."
Quanto a isto:
"alguma associação, seja adepta do não ou do sim, tem conhecimento da esmagadora maioria de casos de aborto?"
É pena que não tenha conhecimento do que muitas associações fazem de facto, a maioria delas compostas por pessoas que, de forma voluntária, auxiliam não só as grávidas como prestam apoio às que recorreram a esse expediente (de forma ilegal).
Finalmente:
"o que não quer dizer, que seja contra o aborto, essa é uma ilação que V.Exa decidiu retirar das minhas palavras."
Neste caso, ou se trata de retórica pura, ou posso presumir que é a favor do aborto, certo!?
 
@Rui Castro,
Está a perder tempo com quem só cá vem de má fé!
 
a)
POdia indicar com precisão qual a publicação científica onde posso encontrar o traçado de EEG de um embrião de seis semanas?
b) às 10 semanas pode "fazer sons"???
 
Meu caro Rui Castro,

De facto, parece que não nos entendemos.

No seu primeiro comentário em resposta ao meu, dizia o meu caro: “é abusivo da sua parte argumentar a favor da lei como se esta acabasse com esse mesmo aborto”, ora, é sobre esta frase que equaciono a minha pergunta, visto que, o meu comentário é geral e de convencimento que a esmagadora maioria dos abortos clandestinos cessarão. Se assim não o lê, mesmo com a minha chamada de atenção, nada há a fazer, porque tentará sempre interpretar para além do que digo, o que é abusivo

Depois no “Quanto a isto” tenta V.Exa. passar-me um atestado de estupidez pensando que sabe o que se passa nos “vãos de escada” deste país e que, pura e simplesmente falo do que não sei, o que me leva a reafirmar o que antes já tinha dito sobre o autoconvencimento da omnipotência do vosso saber e das vossas ideias, que já cansa e não leva a lado algum, visto que, esta é uma discussão com anos e já falta a paciência.

E, claro, finalmente percebeu bem o que eu disse. Sou mesmo a favor da liberdade de escolha e sendo assim, não há como não ser a favor do aborto. Qualquer outra interpretação para além do que escrevi é sua.

Nota Final: Nestes extensos comentários, podíamos bem, ter aproveitado, para discutir o problema em causa, mas infelizmente o erro é recorrente e até parece que só interessa esgrimir a nossa causa em termos panfletários, sem nos interessarmos com o que pensam os que pensam diferente. Talvez por isso, esta questão tem de ser discutida nas urnas com o simples SIM ou Não.

Lá nos encontraremos.
 
ninguém me respondeu à questão dos dentes definitivos....
 
Jorge Lima tem razão:é este o caminho a fazer.Mostrar que a vida humana já existe e que é essa vida que se quer cercear.Por minha parte, sinto-me no dever de publicitar este post oportuníssimo.
 
POis, só é pena é conter tantas "inverdades", como agora se diz...
 
Factos... e manipulações linguísticas.

Uma "criança" de 12 a 15 mm que "nada e move-se graciosamente"? Criança?

(Já agora falava-se também da 'cauda' da "criança".)

E ter receptores de dor também não é o mesmo do que sentir dor.
 
Boa!!!
A "coisa" foi corrigida quanto aos dentes!
Obrigada!
 
Uma pergunta, porque sou técnica de neurofisiologia mas não tenho conhecimento disso.:onde posso encontrar um traçado de EEG com ondas cerebrais às 6 semanas? É uma curiosidade que tenho faz algum tempo. Nos livros de referência da especialidade como o Electroencephalography: Basic Principles, Clinical Applications, and Related Fields, a informação que temos é que só existe actividade cerebral a partir dos 120 dias e mesmo os fusos de sono só aparecem às 32 semanas. Se me podessem indicar onde posso procurar...
 
O conhecimento actual diz-nos apenas que:

«An EEG involves measuring varying electrical potential across a dipole, or separated charges. To get scalp or surface potentials from the cortex requires three things: neurons, dendrites, and axons, with synapses between them. Since these requirements are not present in the human cortex before 19-24 weeks of gestation, it is not possible to record "brain waves" prior to 19-24 weeks.»

Por isso, uma coisa é ter actividade electrica, coisa que até as plantas têm, outra é formar ondas cerebrais, que representam a consciência. Às 10 semanas o que o cortex emite são sinais da presença de algumas estruturas cerebrais.
 
Essa dos dentes definitivos à 10ª semana merece um medalhão de mérito científico. É que a mim só começaram a nascer aos 7 anos e já tinha 12 quando me apareceu o último molar. E fosse esse o único erro grave do artigo...
Os senhores doutores que me digam onde é que viram sangue a circular à 3ª semana, que eu vou para a Praça do Comércio mastigar e engolir uma dúzia de chapéus.
O que se nota, e apenas à 7ª (SÉTIMA, senhores) semana, é um reduzido volume sanguíneo percorrendo os vasos rudimentares que ligam o saco gestacional às membranas coriónicas.
Não há quase nada no artigo que não tenha sido adiantado uma ou duas semaninhas. Para quê? Para quê? O "Não" tem argumentos mais do que suficientes do seu lado, inclusivamente argumentos científicos.
Agora não me venham é perverter a ciência com linguagem de púlpito, e tentar vender banha-da-cobra senão acabam por perder votos. A começar pelo meu.
 
Mas vocês prestaram mesmo atenção ao que vos transmitiram os "consultores"?
Parecxe-vos que podem escrever o que escreveram sem fundamentarem minímamente e contendo erros tão grosseiros?

Valha-nos Deus!
 
Talves seja muito burro, mas este post sobre a evolução do feto - mesmo sem os erros grosseioros que tem - serve para demonstrar o quê ?

Que a vida humana começou no dia 1 ?

Seja, admitamos que assim é.

POderá algum dos defensores do Não que partilhe esta tese explicar-me porque razão não andaram nem andam na rua a manifestar-se e a recolher assinaturas para um referendo que acabe com a lei actual, que permite abortos às 10, às 14 e às 24 semanas sem crime ?

Ou não perceberam que 24 semanas são 6 meses ?

Ou não perceberam nada do que se está a discutir ?

Ou fingem que não perceberam, porque preferem o farisaísmo mais completo a assumir com coragem e coerência as suas posições de princípio ?

Vá, gritem que nem saguins que querem revogar a lei actual !

Não mintam como Caifás fingindo que só são contra esta lei !
 
Dentes definitivos às 10 semanas? Abortem isso que é um mutante!
 
A autoria deste relato do desenvolvimento do bébé desde o 1º dia foi dada a conhecer. São médicos especialistas no assunto. Muitos se apressaram a comentar de forma tão sábia tal relato. Gostaria, para ajuizar da qualidade em que o fazem de saber quem são... serão também especialistas ou a sua especialidade é "opinar na ignorância" (profissão tão em voga neste pequeno rectângulo)
 
id

como pode verificar no meu comentário acima, eu identifiquei a minha especialidade e fiz uma pergunta clara e objectiva para a qual ainda não obtive resposta. Dei-me inclusivé ao trabalho de colocar aquilo que é a informação que disponho actualmente e demonstrei a minha predisposição para alterar as minhas concepções se me for dada a fonte das afirmações nomeadamente em relação ao EEG, matéria tão importante para diagnosticar a morte e, por conseguinte a vida.
 
Os dentes definitivos existem sob a forma de esboço na espessura dos ossos maxilar e começam a deslocar-se para o bordo alveolar com a idade de cinco a seis anos.
 
Cara Gisela,

Define um ser humano pela susceptibilidade de medição da sua actividade cerebral?

É a susceptibilidade de medição da nossa actividade cerebral que nos distingue dos outros seres vivos?

O que é para si um ser humano?

Qual é a essência do ser humano?

Porque é que o aborto sem ser por opção da mulher é um crime diferente da simples ofensa corporal à mulher?
 
Aqui o que está em causa não é o que eu penso sobre a essência da vida (já tive até oportunidade de afirmar num comentário ao post anterior que considero que o uso da pilula inviabiliza uma vida que estaria destinada a acontecer. Para mim a essência da vida começa mesmo antes da vida).

O que eu ponho em causa é os dados que são apresentados neste post, que me parecem ser distorções do actual conhecimento cientifico com um cunho fortemente propagandista. Se parte do conteúdo é falacioso, em que é que eu vou acreditar? Penso que isto não abona nada a favor da campanha do não.
 
Gisela,

quando é para si começa a vida? Se diz q é antes da vida, então um aborto implica sempre matar um terceiro.

A união das duas células na fecundação gera um bébé e nada, mas rigorosamente nada lhe é acrescentado durante o período de gravidez. É o código genético com que nascemos.

Pretender que às 10, 12, 14, or whatever, há uma "alteração qualitativa" como ouvi o Pacheco Pereira dizer é que não tem qualquer base científica e, desculpem a franqueza, é pura semântica e delírio filosófico.
 





blogue do não