Sinais de Vida III

O Ponto de Apoio à Vida é uma Instituição Particular de Solidariedade Social (I.P.S.S.) que nasceu para dar esperança a futuras mães, informar e encaminhar para instituições especializadas, ajudar e preparar a sua vida futura com o Bebé ou simplesmente para ouvir.
o PAV trabalha em colaboração com outras entidades sociais, nomeadamente Maternidades, Hospitais, Centros de Saúde e Misericórdias. Apoia grávidas em dificuldade que se sentem pressionadas a rejeitar o seu filho, optando, por vezes contra a sua própria vontade/desejo, por não o trazer à Vida. Estas mulheres são reféns das mais variadas situação de desespero, solidão e abandono. E acabam por recorrer a soluções dramáticas porque desconhecem os seus direitos e pouco ou nenhum acesso têm a informação sobre apoios a que podem recorrer.
Actividades: acolhimento temporário, realização de testes de gravidez, aconselhamento jurídico e médico, acompanhamento social e psicológico, formação e apoio ao planeamento familiar, atendimento telefónico através de número gratuito, formação de mães e grávidas em cuidados pré e pós-natais.
Equipa: assistentes sociais, psicólogos, educadoras, médicos, enfermeiras, advogados, voluntários.
Ajudas: o PAV conta com o financiamento parcial do Ministério da Segurança Social, de associações e empresas que reconhecem a importância deste projecto.
O PAV dispõe de uma Casa de Acolhimento na baixa de Lisboa, a Casa de Santa Isabel, dois Gabinetes de Atendimento Externo, junto à sede, no Alto do Lumiar e outro no Monte Estoril.
O PAV abriu o Gabinete de Atendimento em 1998, tendo já dado apoio a mais de 850 mães e, só em 2005, fez 642 atendimentos. Desde a sua abertura em 2003 e até Dezembro de 2005 foram acolhidas na Casa de Santa Isabel 24 mães e 28 crianças, 20 das quais nascidas na Casa.
A Casa de Santa Isabel, por sua vez, tem capacidade para acolher 8 mães com os seus bebés e, sempre que necessário, com os seus filhos já nascidos.
Sugiro ainda a consulta da Páginas Vida no Sapo.

Comentários:





blogue do não