Sinais de Vida V

Às vezes imagino o que seria da nossa sociedade sem os grupos de voluntariado e as associações de solidariedade social...
A Ajuda de Mãe é uma instituição Particular de Solidariedade Social criada em 1991 com o objectivo de apoiar mulheres grávidas de modo a que tenham as melhores condições na fase do nascimento do seu bebé e tembém durante toda a sua educação.
A Ajuda de Mãe dá atendimento directo a grávidas, tem um gabinete de psicologia, oferece residências temporárias para grávidas adolescentes e adultas, espaços de formação profissional, ateliers ocupacionais, etc. No SOS Grávida - linha directa de atendimento a grávidas - a Ajuda de Mãe atendeu, só em 2005, cerca de 6676 chamadas; reintegrou cerca de 500 mães no mercado de trabalho; ajudou cerca de 35 mães a retomar a vida escolar que tinham abandonado; realizou 206 acções de formação.
NOVO: está a criar o Curso “Aprender a Ser Pai”, aberto a todos os pais, lembrando que os homens também têm uma palavra a dizer, também têm responsabilidades.
Afinal de contas este não é só um problema de mulheres!
Aliás se o fosse não faria sentido deixar os homens votarem neste referendo.

Comentários:
No caso de, como desejo, o SIM ganhar, todo este trabalho de apoio nas suas mais variadas formas pode, e deve!, continuar. Não percebo porque se argumenta com este tipo de instituições - elas podem continuar a existir!
 
Anda a ver o "um contra todos"
 
A questão não é saber se elas podem continuar a existir. É saber que existem alternativas ao aborto. E que por isso ele não é "inevitável" como o SIM quer fazer parecer.

É dizer que quem aborta em Portugal não é por não ter apoios. É porque quer escolher o mais fácil, o que não compromete, o que desresponsabiliza.
 
Caro Anónimo,
Este "argumento", como lhe chamou, responde a um outro argumento do Sim: o das condições socio-economicas. Ou melhor, da falta delas como justificação para um aborto.

A Sara tem vindo a informar que há muitos apoios (já vai em 5 e ainda agora começou), respondendo também aos muitos que afirmam ou perguntam, insistentemente, o que o Não tem feito para evitar o aborto.
 
Será que o sexo tem uma força assim tão incontrolavel que nos leva ao ponto de querer matar um ser-humano???Por causa desse desejo supremo, devemos nós mudar as leis? Será que somos assim tão perfeitos que deveremos evitar um nascimento, so porque este não terá os olhos azuis do pai, e o cabelo ondulado da mãe? Se nascer doente, não vai ser feliz? Porquê? Porque, doente como é, não vai ter uma vida perfeita como a dos pais? É um ser humano e, como tal, deverá ser respeitado como tal!

Cambada de cobardes, esses que vão por a cruz no "sim"! Para alguns ainda ha desculpa para tal estupidez. Para outros, especialmente os que têm filhos, não ha justificação possivel nem insultos suficientemente adequados para um acto tão cobarde!

Para os animais, caso ainda o desconhecam, existem os preservativos e muitos outros mais metodos contraceptivos.
 
Ninguém pode ser obrigada a ser mãe. Ninguém pode ser obrigado a ser pai. Ainda bem que existem instituições de apoio a quem quer a maternidade e a paternidade.
 





blogue do não