Barrigas transparentes

É uma pena não haver actualmente tecnologia (por exemplo, sei lá, ecografias tridimensionais) para podermos observar directamente o feto dentro do útero das 8 às 10 semanas de gestação. Porque se assim fosse, então era como se as barrigas das grávidas fossem transparentes. E todos nós - que hoje somos míopes por ignorância –teríamos de fazer um grande esforço intelectual para não reconhecer um ser humano num "monte de células" com 10 semanas. E esta questão não estaria no topo da agenda mediática. Mas não é possível. Pena.


Comentários:
Mais do que a questão da vida, para mim, há a questão do Gato por lebre.

Diogo Freitas do Amaral e Rosário Carneiro, respectivamente ex-Ministro e deputada do PS, propuseram o fim dos julgamentos e das penas para TODAS as mulheres que realizassem um aborto, em TODAS as circunstância, em TODAS as semanas de gravidez. Se a lei actual, com essa alteração, for cumprida, temos em Portugal abortos pelos mesmos motivos do que em Espanha e acaba-se com as prisões e os abortos clandestinos, duma só vez, com as vantagens de haver apoio e acompanhamento às mulheres que queiram abortar, e sempre que possível aos seus companheiros. O PS, o BLOCO DE ESQUERDA e o PCP nunca quiseram essa solução. Porquê? Agora gritam bem alto pela despenalização que nunca quiseram, pois sabem bem que o que está em jogo é a liberalização!

As mulheres merecem bem melhor e diferente do que o direito a irem a uma clínica privada fazer um aborto, ao seu próprio custo. Pelo menos haja um psicólogo que as acompanhe. A mulher é a PRIMEIRA VÍTIMA da sociedade. Um aborto não se faz de ânimo leve. E o pai da criança sempre que possível, deve ter os seus direitos salvaguardados.
O adultério passa a ser motivo para um aborto, sem conhecimento do marido. Qualquer adolescente, digamos de 16 anos, necessita da assinatura dos pais para ir a um passeio da escola, mas poderá fazer um aborto sem contar aos pais.

Há o outro lado da medalha, que são as mulheres que apesar de terem uma gravidez inesperada, depois querem ter o filho mas não têm dinheiro para o criar. A única alternativa que lhes damos com este Sim é o aborto. Que haja alguém que receba a mulher, e lhe dê uma alternativa, apoio humano, financeiro e médico (Na Alemanha, depois da liberalização do aborto, agora o Estado oferece 25 mil euros e quem tiver um filho...).

Concorda com a despenalização do aborto, em toda e qualquer semana, pelos motivos que estão actualmente na lei?

Sim, sem restrições nem prazos.

Concorda com a despenalização do aborto, sendo este gratuito no Serviço Nacional de Saúde, e sendo a mulher (e o homem sempre que possível) acompanhada devidamente?

Sim, sem dúvida alguma.

Mas o que está em referendo é:

- Concorda que a realização de um aborto, se realizado até às 10 semanas, deva ser legal sem apresentação de um motivo, sem acompanhamento à grávida, numa clínica privada, do seu próprio bolso?

A isto eu digo não.

Repare, as pessoas que votam Não, não o fazem por serem más pessoas, fazem-no por quererem uma lei mais justa para todos. Para que não se vote gato por lebre. Não queremos que o Estado fuja à sua responsabilidade em ajudar as pessoas de forma séria.

Esta pergunta é enganadora e despenaliza, isso sim, as parteiras ilegais, os médicos cúmplices do aborto clandestino, abre o negócio das clínicas privadas, que viverá do sofrimento das mulheres. Onde estão as vozes amigas das mulheres afinal? Do lado do Sim? Deste sim?
 
os partidários do "sim" começam a ficar desesperados e a usar todos os meios, lícitos e ilícitos,
vejam este exemplo de mentira:
por favor reponham a verdade e não façam campanha dissimulada pelo "sim"...
veja-se a falta de verdade na notica do Publico On-line de
hoje quando diz "Bispo de Viseu defende despenalização do aborto". Ora, se lermos toda a noticia e as declarações do bispo em causa, vemos que o que este defende é a despenalização da mulher e não do aborto enquanto tal.
será isto apenas um erro do jornalista não intencionado a
deturpar a verdade e a desinformar ? ou será antes um modo vergonhso e dissimulado de fazer campanha pelo "sim "?
vamos ver até que ponto os chefes do PUBLICO, são isentos....
 
O "baguinho de uva" a.k.a. "Miguel Ângelo", agradece a publicidade.
 
A despenalização da mulher?! Oh diabo... não sabia que estava ilegal!

Caro José Silva Almeida, se o aborto é crime, quem é o criminalizado? As batatas? Ou as mulheres que o fazem? Sejamos honestos, connosco próprios também, de preferência.
 
Se o aborto é um crime, quem o faz e pratica tem que ser criminalizado.
Despenalizado? Porquê? Só um juíz, depois de avaliar a situação, atenuantes ou agravantes, poderá ditar a sentença.
 





blogue do não