O SIM DESMASCARADO

Um panfleto hoje distribuído pelo Movimento Intervenção e Cidadania (MIC) admite que a interrupção voluntária da gravidez (IVG) "pode ser o último recurso para assegurar a saúde da mulher e garantir-lhe o acesso ao planeamento familiar". Pois claro. Louve-se-lhes a decência de dizerem em voz alta o que eles pensam por trás das belas palavras que proferem. O aborto como método de planeamento familiar! Afinal o Não tem razão. O MIC descaiu-se. Isto não devia ser para dizer...

Comentários:
Eu sei que és homem e não entendes muito de planeamento familiar.... mas, ao menos, podias entender português!
Já agora, quantas crianças abandonadas por mães que resolveram ter os "seus" filhos adoptas-te?
Ou estas continuam nas instituições, à espera de um lar?...
 
luísa, tu também não percebes muito de português: não é adoptas-te, mas sim adoptaste.
 
Presumo então Senhor Jorge Ferreira, que as mulheres grávidas cujas vidas financeiras e familiares não conseguem sustentar este novo "ser humano" poderão ir bater à sua porta pedir ajuda!!!
 
birdy,
tem nas "ligações úteis" deste blog os sites de diversas instituições que agora estão a fazer campanha pelo Não e que têm um historial de muitos anos de solidariedade social e de apoio constante às mulheres grávidas que enfrentam as dificuldades que referiu.
 
Luisa Monteiro,

Quantas dessas instituições foram criadas ou são mantidas por organizações que defendem a despenalização do aborto a pedido?

Ah, já me esquecia. Os defensores da despenalização do aborto a pedido não têem nada que promover a educação sexual ou planeamento familiar ou ajudar famílias carenciadas, mães solteiras ou crianças abandonadas. Para os graves problemas sociais que levam ao aborto, a sua... solução, a única responsabilidade que se sentem obrigados a assumir, é o aborto livre, para quem quiser, quantas vezes quiser e à custa do Estado. As outras coisas (educação, responsabilidade e apoio social), as que não resolvem os verdadeiros problemas, ficam exclusivamente para quem acha que o feto não deve poder ser morto apenas porque sim.
Quem se sentir obrigado a abortar porque não tem condições para criar uma criança que não soube gerar tem é que ir falar com os do "não". Dos que quiserem abortar, independentemente da sua situação pessoal, tratam os do "sim".

Deve ser por isso que os defensores do "sim" são modernos e os do "não" querem impôr a sua moral bafienta aos outros.
 
Quantos aninhos tem o autor da prosinha? O facto de alguém escrever um disparate condena, em soidariedade forçada, todos os defensores do "Sim"? Guarde as generalizações para as conversas de café.
 
Pior cego é aquele que não quer ver. Qual é a parte do ÚLTIMO que os senhores não perceberam?
 
caro anónimo das 10:54,

a parte que não percebemos é mesmo aquela de uma opção passar pela morte de um ser humano!

Capicci?
 
Caro JAD:
Parabéns!!! Comment conciso, acutilante e com tudo o que há para dizer sobre as concepções de vida e ideais das duas barricadas.
Subscrevo na íntegra.
Cumprimentos
 





blogue do não