VOTO NÃO

Voto Não...

Porque fora do alcance dos meus olhos sei que há um ser humano vivo, pleno, digno!

Porque na Mulher reconheço liberdade, responsabilidade e por isso dignidade!

Porque repudio um Estado demitido da sua função social que abandona os seus próprios filhos à sua fragilidade, sem qualquer ponderação dos interesses em presença!

Porque uma lei para ser Direito tem de ser eticamente cunhada à imagem da dignidade dos seres cujas condutas pretende orientar!

Porque não sou conivente com o oferecimento de soluções às mulheres que para além de ilegítimas, constituem outros problemas!

Porque a solidariedade entre seres humanos deve ser assumida como princípio base da nossa civilização, sem pontos de fuga, sem zonas de excepção!

Porque só o NÃO se compadece com o reconhecimento pelo ordenamento jurídico do progresso científico.

Porque o NÃO representa desistir de milhares de vidas e por isso não me conformo!

Porque votar NÃO representa uma extraordinária oportunidade para dar às portuguesas todas as condições tendo em vista uma maternidade digna, planeada, responsável, livre de desigualdade e coacção.

Comentários:
Mais wishful thinking...
 
«Fica claro, assim, que há duas ordens de razão para o meu voto NÃO:A primeira, porque, em consciência, me repugna transformar o acto abortivo numa prática comum, como se eliminar uma vida fosse algo tão simples e normal como retirar um quisto ou desencravar uma unha. Ou ainda mais simples e banal do que isso.A segunda, porque a campanha do Sim não me pareceu séria nem frontal. Fugiu como o diabo da cruz de aspectos que não podem ser ignorados – ou que só podem ser ignorados por quem se sente incomodado com a verdade.E se alguns defensores do Não foram – e são – hipócritas, a campanha do Sim não se ficou atrás.Afinal, meus amigos – e doa a quem doer – um feto não é uma verruga.

Crónica de: João Carlos Pereira (militante do Partido Comunista Português)».
in, http://www.relances.blogspot.com/
Blog de deputado socialista!
 
Tem um lapso no penúltimo parágrafo.
 
O Portal do Cidadão e o Secretariado Técnico para os Assuntos do Processo Eleitoral (STAPE) lançaram recentemente um serviço gratuito, através de SMS, que permite aos eleitores ficar com o número do seu cartão de eleitor registado no telemóvel.
Para saber o número de eleitor basta que o cidadão envie um SMS para o número 3838, utilizando RE e o número de bilhete de identidade e a data de nascimento (ano-mês-dia). Exemplo: RE (espaço) nº BI (espaço) AAAAMMDD.
 





blogue do não