O aborto e o argumento liberal

Começo por dizer que simpatizo com a tese de que o aborto é um assunto da mulher e que, por isso, o Estado não deve meter-se. Porém, que ao contrário de outros temas onde a liberdade individual é soberana, no aborto existe uma outra realidade a que não podemos fugir. Como disse Norberto Bobbio, "No caso do aborto há "outro" no corpo da mulher. O suicida dispõe da sua própria vida. Com o aborto dispõe-se de uma vida alheia".
Pesando pois os dois valores fundamentais que estão em causa no problema do aborto voluntário – a liberdade de escolha da mãe e o direito à vida do feto – não posso deixar de optar pela vida. Amo a liberdade e defendo que o Estado não deve olhar pelo “buraco da fechadura”, mas neste caso a situação é distinta. Não está apenas em causa a “esfera privada” da mulher, pois existe um outro ser que precisa de ser protegido.
Já sei que, em princípio, a mulher não aborta por motivos fúteis. Mesmo assim não faz sentido que ela possa decidir sobre a vida do “outro” que leva dentro de si. Isso seria negar o mínimo de dignidade à vida intra-uterina. A maior das humilhações.

Comentários:
hello,I recommend to you the best browser in history,I really loved it,I hope you may want to download and try. thank you.
 
Gostava so de perguntar pq é q os partidários do SIM tem sempre de se exaltar para expressar os seus argumentos... será pq não tem argumentos de peso...

Por exemplo ontem no " Prós e Contras " quanto mais eles se enervavam....
 
olá sou defensor do não porque acima de tudo está a vida ,as razões dos defensores do sim soam a falso como a defesa da mulher, etc etc ...
Deixa a tua opinião em http://lobosmaus.blogspot.com
 
MAIS FICAVA CLARO Q DISSER " não " neste domigo é o voto da modernidade, da tolerancia e do respeito pelo maior de todos os direitos - O DIREITO Á ESTAR VIVO
 
o que eu vi ontem no debate foi demagogia básica por parte de alguns do lado do NÃO e foi isso que levou alguns dos partidários do SIM a se exaltarem.

Se vamos ser demagogos vamos ser à séria.
Vamos dizer NÂO e vamos dizer que queremos penas de homicidio voluntário e premeditado (25 anos) para todas as mulhores que abortem e para os assassinos/as que as ajudam. Não devemos dizer não, mas achando que se deve despenalizar, porque isso é dizer que se aceita o aborto mas que olha-mos porque o problema no fundo não é nosso.
 
A malta do "sim" está a ficar nervosa.

Se navegarem até um dos mais conhecidos blogs do "sim", percorrerão páginas e páginas só a falar acerca do debate de ontem no "Prós & Contras".

Neste momento, penso que é notório à luz da razão que estes senhores já não se preocupam em defender os argumentos que sustentam o seu voto no "sim". A preocupação, a poucos dias do referendo, passou a ser o ataque aos defensores do "não".

Ainda bem; é bom sinal. Continuemos meus amigos.


Melhores Cumprimentos,
David Sanguinetti
 
Já agora, proponho uma abordagem "deferente":

http://blogdefrente.blogspot.com

David Sanguinetti
 
Achei curioso ontem ver que os defensores do Sim - à medida que o tempo ia passando - se assemelhavam cada vez mais a uma torcida que - em final de campeonato - percebe que vai perder. Ele é faltas, jogadores expulsos ( Dra Marta rebelo levou ali um belo cartão vermelho)e desespero...caras tensas, tristes, desiludidas. Será que foi porque realizaram que - mesmo que o Sim ganhe no dia 11 - "esta malta do não sabe do que fala, e o pior é que tem mesmo razão".
Pois é.
 
Agradeço os comentários, mas seria melhor se lessem o texto e não se limitassem a disparar para o ar.
 





blogue do não