Pela Matilde, pelo Zé Pedro...

Pelo João, pela Ana, pela Cátia, pela Teresa, pelo Paulo, pela Marta, pelo Nélson, pelo Vicente, pela Maria, pelo Francisco, pelo Daniel, pelo Vasco, pela Joana, pelo António, pela Alexandra, pelo Mário, pela Susana, pelo Pedro, pelo Tópê, pela Isabel, pelo Afonso, pelo Álvaro, pelo Miguel, pela Mariana, pelo Nuno, pelo Diogo, pela Carla, pelo Tiago, pela Rita, pelo Manel, pela Inês, pela Paula, pelo Luís, pela Benedita, pelo Ricardo, pelo Rodrigo, pela Patrícia, pelo Fernando, pelo José, pela Cristina, pelo André, pela Margarida, pela Filipa, pelo Alexandre, pelo Jorge, pela Catarina, pela Vera, pelo Zé Manel, pela Sónia, pelo Cristóvão, pela Sofia, pelo Guilherme, pela Luísa, pelo Carlos, pela Liliana, pelo Rogério, pelo Ivan, pela Carlota, pela Soraia, pelo Ruben, pela Madalena, pelo Milton, pela Tânia, pelo Henrique, pela Lurdes, pelo Hugo, pela Clara, pelo Alfredo, pela Filomena, pelo Ismael, pela Carina, pelo Joaquim, pela Gisela, pelo Eduardo, pela Adriana, pelo Duarte, pela Elsa, pelo Rui, pela Anabela, pela Leonor, pelo Agostinho, pela Bárbara, pelo Artur, pela Fernanda, pelo Bruno, pela Eduarda, pelo Cristiano, pela Sara, pelo Gonçalo, pela Frederica, pelo Alberto, pelo Bernardo, pela Mafalda, pelo Marco, pela Cláudia, pelo Victor, pela Dulce, pela Júlia, pelo Raúl, pelo Simão, pela Helena...

Para que nunca os apaguem, voto NÃO.

Comentários:
ridiculo
 
Isto é metafórico, ó palonço!
As crianças que hoje são eliminadas amanhã terão um nome. A nenhum deles deveria ser subtraída a vida.
 
tens muito jeito para as artes gráficas, diogo.
 
Ai já se põe nomes a embriões de filhos que se vão abortar??? Atão e o sexo, para se poder escolher o nome???
 
«Fica claro, assim, que há duas ordens de razão para o meu voto NÃO:A primeira, porque, em consciência, me repugna transformar o acto abortivo numa prática comum, como se eliminar uma vida fosse algo tão simples e normal como retirar um quisto ou desencravar uma unha. Ou ainda mais simples e banal do que isso.A segunda, porque a campanha do Sim não me pareceu séria nem frontal. Fugiu como o diabo da cruz de aspectos que não podem ser ignorados – ou que só podem ser ignorados por quem se sente incomodado com a verdade.E se alguns defensores do Não foram – e são – hipócritas, a campanha do Sim não se ficou atrás.Afinal, meus amigos – e doa a quem doer – um feto não é uma verruga.

Crónica de: João Carlos Pereira (militante do Partido Comunista Português)».
in, http://www.relances.blogspot.com/
Blog de deputado socialista!
 
acho que o resto da europa não se queixa
 
e eu?
 
Metafórico e ridículo, aliás. Para não dizer mesmo "piroso".
 
Olha aqui um post coerente com a restante campanha do não!

Alexandra
 
Lindo!!!suponho que em pleno acto sexual comece a divagar os tantos nomes que devem ter os seus espermatozoides ...
 
por cada cada nome de mulher que aí está escrito, eu voto sim!
 
1:49 AM : Suponho q vocês nos vossos sussurem linda palavras de amor ao ouvido, fazendo planos para lindos abortos.
 
Eu gostei. Não encarem a realidade, não, comentadores... Na verdade, esses bebés não têm nome porque são as próprias mães que os eliminam, por isso, são anónimos e este post é meramente simbólico. Quanto a vocês, que comentam aqui porque nunca ninguém vos "eliminou", podem dar-se ao luxo de esconder o vosso nome e deixar-se ficar como anónimos.
 
QUEM DERA O NOME DOS ABORTISTAS TIVESSE DESAPARECIDO!
 
O Portal do Cidadão e o Secretariado Técnico para os Assuntos do Processo Eleitoral (STAPE) lançaram recentemente um serviço gratuito, através de SMS, que permite aos eleitores ficar com o número do seu cartão de eleitor registado no telemóvel.
Para saber o número de eleitor basta que o cidadão envie um SMS para o número 3838, utilizando RE e o número de bilhete de identidade e a data de nascimento (ano-mês-dia). Exemplo: RE (espaço) nº BI (espaço) AAAAMMDD.
 
"rute said...
por cada cada nome de mulher que aí está escrito, eu voto sim!"
1:58 AM

Por cada nome de mulher? Só?
O que vale é que por cada Diogo Almeida, aparece sempre uma Rute tão imbecil, que faz parecer o Diogo uma pessoa normal.
 
Não costumo colocar insultos e assim quero permanecer, senhor anónimo, já que não existem imbecis sem nome.
 





blogue do não