Vida indesejada?

Em complemento à 'posta' do Pedro Geada (Gravidez indesejada?) coloco a seguinte questão:

"Alguém conhece um filho que, tendo passado por situações de vida dramáticas, por dificuldades socio-económicas dos pais, tenha olhado para trás e dito "quem me dera ter sido abortado"?"

Comentários:
Resposta: Obviamente Não!!!
Agora uma pergunta minha: Sabendo-se que o aborto é um MAL para a mãe e para o filho, estárá correcto legalizar o MAL?
 
oh meus amigos,
O sr. padre (mario costa pinto)do "sim", é daqueles que sofrem o sindrome do maio 68...aliás ele é padre, porque nunca se deixa de ser depois da ordenação (direito canónico)...mas, não tem paróquia nem exerce o sacerdócio ministerial...já há 17 anos que a igreja ( o magistério) lhe tirou a credibilidade e poderes para falar em nome da Igreja...
Mas claro,dá muito jeito à comunicação social dar estes exemplos para ver se cativam mais algusn votos para o "sim"...é que basta ver os artigos de opinião no publico, no Dn etc...por cada artigo a favor do não publicam 3 a favor do "sim"...e esta gente tem lata de se autodenominarem jornalistas imparciais...é mas é gente sem ética e deontologia prfessional...
Cada vez me convenço mais que, em politica e nos partidos, os favores paga-se e bem...caso contrário, não assistiamos ao seguidismo militante a favor do "sim" estes ultimos dias na imprensa.
 
v ejam este video fantástico:
http://www.youtube.com/watch?v=0alfftxDkqA&eurl=
 
Se tanto SIM como NÃO parecem concordar que o aborto é um mal, a questão é como é que se pode (imaginar-se a) proceder de modo errado e sentir-se bem? É impossível. A forma pouco disfarçada com que o SIM extremiza a sua posição não pode ter outra leitura que não a de que a "liberdade" exigida é para ser largamente abusada.
 
SIM.
Não obstante o discurso naturalmente adulterado que utilizaram - visto que obviamente ninguém diz que desejava ter "sido abortado" - SIM, "Quem me dera nunca ter nascido" é uma frase que, como estudante e futura profissional de saúde já ouvi muitas (smp demasiadas) vezes.SIM.
E tenho a certeza que não sou nem serei a última a ouvi-lo. SIM. Por isso, eu sei muito bem mesmo o que vou votar no domingo.

C.P.
 
"Não faço juízos morais sobre os propósitos de ambos os lados. Apenas constato soluções diferentes, com motivações diferentes: de um lado, há uma proposta de um SIM pela higiene como resposta ao desespero; do outro, um NÃO que proporciona dignidade e exige um apoio real que possa gerar Esperança. Até porque temos de acreditar que há sempre quem não desista e há sempre quem quer dizer NÃO!"

João Titta Maurício, in,diariodigital.pt
 
O Amigo desloque-se a qualquer prisão do país e pergunte aos criminosos que lá estão, vai com certeza ouvir a afirmação que diz nunca ter ouvido.
 
Freeyourbrainpower,

Se calhar a seguir vai defender a liberalização do roubo, do homicídio, do tráfico de armas e drogas...?
É que, se calhar, se esses criminosos não forem presos talvez não fiquem com pena de ter nascido...
 
mas em que mundo vive esta fauna do bloguedonão?

será que o contacto com a sociedade, vai além do bar da católica? ou como disse o inacreditável távora "do centro de saúde do estoril" ou da conservatória "onde algum progenitor negro ou brasileiro" registra a sua criança?

cruzes...
 
Caro Rui Pedro,

Que engraçado, nunca fui ao bar da Católica (nem nunca entrei sequer no seu "campus"...), nem conheço o centro de saúde do Estoril...
Será que posso votar "não"...?

Já agora, "fauna" é um termo bem aplicado. É, de facto, ao Reino animal que pertencemos, e não ao vegetal nem mineral. É por isso que defendemos os nossos iguais, a vida humana, pois o feto não é o mesmo que a folhinha de uma árvore...
 
Caro Diogo:
De facto tenho um primo meu, filho de mãe solteira, casado, pai de 2 filhos que me disse que gostaria que a mãe tivesse abortado.
Perguntei-lhe porquê e respondeu-me que se devia às dificuldades por que passou na vida. Não consigo perceber o que leva uma pessoa aparentemente feliz, que acaba de ser pai pela 2ª vez a considerar que teria sido melhor ter sido abortado.
Sou frontalmente contra o aborto por isso votarei Não. Ele penso que votará sim. Continuo sem perceber o porquê da sua posição mas para mim é obvio que o valor da vida é absoluto. Por isso não admito que por razões económicas se pratique acto não abominável.
Conheci pessoalmente um casal que nos anos 60/70 com 12 filhos, dava pão e azeitonas ao jantar a esses mesmos filhos ficando por vezes eles próprios sem comer. São todos vivos, uns emigraram outros não, todos estão bem, todos casados.
Pergunto, se estes pais tivessem optado por abortar, estes filhos não teriam direito sequer a existir, primeira condição para poderem ser livres, responsáveis e felizes.
 
ó m8inha,
fazes parte do bloguedonão? pois, não fazes, era o que me parecia.

shut up.
 
Caro Rui Pedro Dias,
Não fui mal educada consigo, portanto no mínimo exijo o mesmo respeito da sua parte.
E aqui neste "blog" não existe o grupo dos que fazem parte e o grupo dos que não fazem. É um "blog" que tem por objectivo fomentar a troca de ideias e de pensamentos sobre a pergunta que está a votação no Domingo.
De qualquer forma, se formos pelo senso de pertença ou não pertença, o Rui Pedro está mais deslocado do que eu...
 





blogue do não